Amsterdã, lá fui eu!


No dia seguinte ao jantar coreano, sexta (20), embarquei para Amsterdã. Voo super-rápido de apenas 1 horinha de Londres. Meus amigos foram um dia antes porque viajaram de ônibus. Chegaram lá depois de 12 horas de viagem. Mais uma DICA: programar a viagem com antecedência pode evitar isso. Mas, caso não consigam, não deixem de viajar mesmo assim. Em turma tudo vira aventura!

Estávamos em uma galera grande e, como eu já não tinha viajado junto deles, não quis me separar da turma no hostel (albergue). Ficamos em um até legal. Mas o problema foi o SAMUCA.

O SAMUCA merece uma citação à parte. Imaginem o Samuel L. Jackson, ator hollywoodiano. Agora, imaginem ele fazendo papel de vilão, nunca sorrindo, apenas balbuciando pouquíssimas palavras e sendo muçulmano – nada contra mesmo, até porque tenho amigos aqui muçulmanos. E muitos na verdade. Mas como ainda está muito recente a “morte” do Osama Bin Laden, não teve como não ficarmos um tanto tensos a cada vez que essa figura chegava em nosso quarto. Mesmo porque, ele praticamente não saiu do hotel. O que uma pessoa vai fazer em Amsterdã que não seja passear? Bom, felizmente pode ter sido só uma cisma nossa, porém foi de todos, inclusive de outros hóspedes que estavam no mesmo quarto.

Quero enfatizar que a religião dele não o faz pior pra mim. Não faço distinção. Apenas os episódios recentes de terrorismo me deixaram apreensivo quando a pessoa é muito diferente (não comunicativa, sombria, taciturna) do resto do ambiente. Albergues são lugares para se conhecer e se comunicar com muita gente. E é onde os hóspedes não ficam muito tempo lá dentro.

Enfim, voltando à parte divertida da viagem, conhecemos bem a capital holandesa porque alugamos uma bike no sábado à tarde. O clima também ajudou bastante, como vocês podem conferir nas fotos. Amsterdã é uma cidade onde você encontra ciclovia, ferrovia (trem e metrô) e ruas dividindo espaço com os canais. Assim, rola andar de barco, trem, metrô, carro, ônibus, bicicleta e a pé…rs. São muitas opções de transporte.

Amsterdã não é uma cidade muito grande. Acredito que em uns 3 ou 4 dias dá para se conhecer tudo. No entanto, as filas em certos locais podem fazer com que demande mais dias para explorar a cidade. Como os dias estavam lindos, não quis “trocar” o sol pelos museus. Visitei apenas a casa-museu de Anne Frank que queria muito conhecer. Mas parecia castigo, pois havia a maior fila…rs Resultado: tirei só uma foto de fora do museu e, da próxima vez, acordo mais cedo para ir. O detalhe é que fomos de bike e na volta nos perdemos, por isso rodamos ‘muuuito’ pela cidade. Bom pra conhecer mais coisas, mas horrível pro bumbum…rsrsrs. Os holandeses utilizam bicicleta desde crianças. É impressionante o tanto de bike na cidade. Mas eu, uma colombiana e outro brasuca sofremos depois com as dores…rs

Não tirei tantas fotos da viagem e pegarei também com meus amigos. Quem puder, não deixe de conhecer Amsterdã. Pretendo voltar novamente. E nada tem a ver com as “coisas” lícitas lá e ilícitas no Brasil..rsrs

Muito gostosa e inesquecível a atmosfera de Amsterdã.

William

William

O William é ex-jogador de futebol com passagem pelo Corinthians e pelo Grêmio, e após encerrar a carreira resolveu ser um #ViajanteCI. Ele foi estudar inglês primeiro em Malta e depois em Londres, e contou tudo para a gente aqui.

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.