Back to the ground


Depois de mais de uma semana só curtindo eu tive que começar a trabalhar, pelo o que eu ouvia de todo mundo era que o trabalho era super de boa, chegava até ser chato por não ter muito o que fazer… o deles é assim, o meu não!

No meu primeiro dia de trabalho eu conheci os “Rangers” Ben e Karry, além de conhecer o Parc Penallta. O País de Gales era altamente industrializado e muita coisa aqui era baseada na mineração de carvão e a paisagem era totalmente diferente do que é hoje, o parque no qual trabalho era um grande depósito de carvão que foi recuperado. Algumas tarefas aqui no parque são diárias como catar o lixo pelo parque (eles não colocam lixeiras porque acreditam que as pessoas que jogam lixo no chão continuariam jogando mesmo se tivesse lixeiras, eles querem que as pessoas tenham consciência e levem o lixo para casa) e tomar chá com leite, fui praticamente obrigado a experimentar e até que gostei.

No segundo dia eu ralei de verdade. Nós fomos para uma parte mais afastada do escritório, onde tem um monumento de um gigante “Sleeping Giant”. O lugar estava meio abandonado e demos uma geral, o Ben cortou a grama e eu os arbustos, depois na hora de limpar e fazer os montinhos de grama cortada eu matei um sapinho, foi sem querer!

No período da tarde fomos fazer controle de ragwort, uma planta venenosa que demora dois anos para florecer, e é prejudicial ao fígado, como aqui a grama não cresce no inverno a ragwort tem que ser retirada dos campos no verão para a produção e feno. A tarefa foi bastante cansativa porque nós andamos muito arrancando todo indivíduo que via-mos, e o pior, embaixo de chuva. Cheguei em casa cansado e pela primeira vez aqui dormi antes das 22h.

A quarta-feira foi o dia mais complicado, eu pensei em desistir! Nós passamos o dia todo em uma lagoa cortando mato, agachado, com uma foice na mão… Eu nunca tinha usado uma foice na minha vida, foi muito complicado, minha coluna estava doendo, era difícil de andar com aquela roupa de borracha, e o tempo não ajudava, chovia 5 minutos depois fazia sol. Foi tão difícil passar o dia inteiro dentro da água que eu cheguei em casa tremendo e tive febre a noite inteira.

No dia seguinte eu fui a viagem toda rezando para que o trabalho fosse mais de boa, eu estava muito cansado, todo dia eu chegava cansado e não tinha ânimo para mais nada, só queria minha cama, fiquei imaginando que não seria possível aproveitar minha viagem assim.

Quinta feira eu fui cortar Balsam com o Karry, e eu acho legal trabalhar com ele porque ele conversa bastante e gosta muito de me contar a história do País, sem contar que nesse dia eu ainda estava tonto por causa da noite mal dormida e da febre, daí ele falou para eu ir mais de boa e trabalhar no meu rítmo. Sexta-Feira começou pesado, mas fui para casa as 15h, para compensar a semana. Durante a manhã cortamos uma árvore e de tarde fomos em um outro parque ver se estava tudo em ordem e aproveitamos para comer umas amoras do pé… dilíça!

A semana foi cansativa, mas foi bom receber meu primeiro salário aqui. Aproveitei a grana e comecei a torrar viajando para Bath no sábado. A cidade é muito legal, pena que não deu para estar no spa porque a fila estava dando voltas e não queria perder o dia todo lá.

Mas em compensação subimos os 16 milhões de degraus da Bath Abbey!

No domingo eu fui para Caerphilly e de noite fui para um showzinho cover do Red Hot!

Galeria de fotos:

Raphael Laurindo Bonini

Pelo programa IAESTE, o #ViajanteCI vai estagiar e curtir a Inglaterra. Confira aqui.

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.