Barça! Barça!

Si si… Nossa próxima parada foi na bela cidade de Barcelona. A terra de Gaudí e de um dos times de futebol mais conhecidos no mundo, essa cidade definitivamente é cenário de muita arte que pode ser enxergada em cada esquina, praça ou viela.

Em três dias deu para ter uma boa ideia do que a cidade tinha para oferecer e optamos por passar por todos os principais lugares que achamos nos guias que usamos para planejar a nossa viagem.

Depois de uma viagem de três horas de trem pela costa espanhola, chegamos à cidade. O que fazer então? Vamos aproveitar uma das noites mais agitadas do mundo. Realmente, a balada lá começa tarde e vai até de manhã cedo. Às 23h ainda achávamos que quinta-feira não era um bom dia para sairmos, mas foi por volta das 0h00 que começamos a ver uma multidão dançando ao som de música eletrônica. A noite seguiu assim, então.

No dia seguinte, resolvemos explorar a cidade de dia. Compramos pela manhã um city tour (hop-on-hop-off) que nos ajudou a ter uma noção bem organizada de onde estava cada ponto turístico e nos proveu de informações que não teríamos se fôssemos sozinhas.

Começamos, então, pelas obras de Gaudí pelas ruas e, logo de cara, tentamos entrar na Sagrada Família, principal obra do arquiteto. Para a nossa surpresa os tickets estavam esgotados pelas próximas três horas. Decidimos aventurar-nos por outros pontos: o lindo Parque Guell, o suntuoso estádio do Barcelona, as ruas estreitas e cheias de vida do Bairro Gótico, a movimentada Avenida Ramblas, até terminarmos o dia em um pequeno restaurante de tapas.

No dia seguinte tínhamos uma missão muito importante: entrar na Sagrada Família. Chegamos 9h da manhã e, adivinhem, os ingressos estavam esgotados novamente. Corremos, então, em uma Lan House e conseguimos comprar pela internet, dica dos próprios funcionários da igreja. Dessa forma, conseguimos programar a visita para o final do dia e, após passarmos pelo Parque Montjuick, Praça da Espanha, Praça da Catalunha, Port Olimpic, Catedral de Barcelona, Igreja de Santa Maria do Mar, voltamos para admirar a obra considerada mais estonteante de Gaudí, a Sagrada Família.

No domingo, descobrimos outra Barcelona: a arte, nesse dia, se manifesta em artistas anônimos tocando, dançando, cantando, enfim, fazendo o que sabem de melhor por alguns trocados dos turistas. Esses artistas podem ser encontrados no metrô, nas praças, nas ruas de Barcelona e acabam por animar e tornar a cidade cada vez mais vívida e digna de várias visitas.

Barcelona é uma cidade que, ao longo dos anos, foi se reorganizando de uma forma que conseguimos encontrar em um mesmo lugar muralhas que sobraram do Império Romano junto com construções modernas e contemporâneas. Mesmo mantendo o velho, a cidade há séculos passa por transformações para a melhoria constante do estilo de vida daqueles que a habitam ou, como nós, simplesmente estão de passagem.

Enfim, o saldo desses últimos dias é de grande satisfação por ter tido a oportunidade de passar por esses lugares e a certeza de que voltarei a revê-los e descobrir vários que não consegui ver, em um futuro não muito distante. Barcelona vale uma nova visita.

Até a próxima!

Abraços.

Fernanda Zuchini

Fernanda Zuchini

Paulista, agente de viagens e muito curiosa. Em constante busca por novos sons, cores e sabores. Para vivenciar todo o contraste da Espanha, o roteiro terá uma mistura de história, praia, balada, antigo e moderno.

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.