Vancouver

Chegada em Vancouver com vitória do Brasil


Finalmente chego em Vancouver e a sensação foi das melhores – a realização de um sonho estava começando de fato ali, naquele aeroporto. Quando desembarquei, segue os passageiros do meu voo, que se dirigiam para o mesmo lugar, e eu pensava comigo mesma – espero que eles estejam indo para onde preciso ir.

No meio do caminho, seguindo por uma esteira rolante – é no aeroporto de Toronto e Vancouver tem umas esteiras rolantes para facilitar a vida dos passageiros – quando encontrei um passaporte no chão. Era de uma italiana, e isso poderia render a volta para o país de origem dela. Quando vou chegando na imigração percebo uma mulher procurando algo na bolsa, e perguntei se ela estava procurando aquele passaporte, ela confirmou e ficou muito agradecida.

Nossa perder o passaporte é a última coisa que um imigrante quer que aconteça, por isso, você que vai viajar tenha muito cuidado. Eu ganhei do meu namorado um tipo de bolsa pochete, que é usada dentro da calça, para ficar bem escondida. Nessa pochete eu guardei meu dinheiro e documentos.

Quando chego na imigração vejo de longe a cara marrenta da funcionária, nossa ela foi muito fria – Where are you from? What do you do in Vancouver? – eu respondi e ela com a mesma cara, assinou meu passaporte e eu fui direto pegar minha bagagem.

Esperando a bagagem passar pela esteira, vi na televisão um programa esportivo falando do jogo entre Brasil x Coréia do Norte. Nossa ainda estava em tempo de assistir o primeiro jogo da seleção brasileira.

Minha homestay estava programada para o dia 19 de junho, como eu chegaria antes do inicio da home, meu namorado consegui uma hospedagem na casa de um amigo que há 1 anos mora em Vancouver. O nome dele é Ernesto, um brasileiro que de cara identifiquei no aeroporto. Ele estava todo em verde e amarelo, com a bandeira do Brasil nos ombros. Então acenei para ele, e ele disse em tom amigável – Seja bem vinda, Vanessa. Pegue sua bagagem por que nós vamos assistir ao jogo do Brasil em um bar bem legal – eu adorei a idéia.

Pegamos o trem e seguimos para a Commercial Drive e fomos para o bar Libra Room que estava lotado. Ernesto me apresentou Gabriela e fomos até o apartamento dela para guardar minha bagagem. Quando voltamos o primeiro tempo já tinha terminado, mas assistimos o segundo e vibramos com os gols do Brasil. Nem precisa dizer que a festa foi grande aqui. Fechamos um lado da rua, como em um bloco carnavalesco descemos uma das ruas sambando e tocando percussão. A maior farra, até a polícia chegar e mandar todos saírem da rua, continuamos a festa na calçada e paramos em uma rua paralela sem movimento, daí fizeram uma roda de capoeira.

Depois de curtir a vitória do Brasil de 2×1 encima da Coréia, eu e Ernesto fomos para a casa dele, em West Vancouver. Um lugar lindo que lembra os condomínios fechados do Brasil. A casa é enorme, tem vários quartos, todos ocupados por imigrantes de vários lugares do mundo. Ernesto cedeu o quarto dele e está dormindo na sala até eu ir para a minha homestay em North Vancouver.

Se você pensa que eu estava morta de cansada, você acertou só que eu não me entreguei. Cheguei em casa, tomei um belo de um banho e fui jantar fora com Ernesto, depois fomos ver o pôr do sol em uma das praias daqui. Lindo lugar, mas um frioooooo! Nada comparado á São Paulo que estava nos 11°, mas frio.

Depois disse só consegui tomar meu café com leite e dormir.

Galeria de fotos:

Vanessa Braz

Vanessa Braz

Apresentadora e repórter de TV, em João Pessoa, viverá em Vancouver por dois meses. A necessidade de aprender inglês e o desejo de viajar, resultou no Intercâmbio. Confira aqui.

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.