Cua Dai Beach: Uma praia com os dias contados

Cua Dai Beach, localizada na encantadora cidade de Hoi An, na parte central do Vietnã e a 770 km de distância da capital Hanoi, está prestes a virar história.

 

Sofrendo um processo de erosão que começou em 2004, a praia, outrora queridinha dos vietnamitas por suas areais brancas, resorts de luxo e imponentes palmeiras, pode vir até mesmo a sumir do mapa em breve – dependendo da força dos tufões que devem atingir a costa do país nos próximos meses.

Em 2014, aliás, foi um tufão com origem nas Filipinas que acelerou o processo de desaparecimento de um pedaço de praia, onde o mar literalmente ‘engoliu’ mais de 500 metros de areia. O cenário é de guerra – ou quase.

O vendaval e as fortes chuvas registrados há 2 anos, no entanto, levaram mais do que areia. Eles tiraram do local, também, boa parte dos turistas, que migraram ou para outras regiões do país ou para a praia vizinha de An Bang (muito bela e convidativa, por sinal).

A Revista Superinteressante foi até Cua Dai para conferir de perto essa história e conversou com alguns turistas e proprietários de restaurantes e hotéis que ainda mantêm a esperança e seus negócios abertos por lá. O clima, porém, é de desolação.

A dona de um pequeno bar-restaurante logo na entrada da praia conta que não sabe o que fazer. Com um inglês arrastado, ela diz que não tem para onde ir, nem dinheiro suficiente para alugar um novo ponto. “Há 10 anos estou aqui. É muito triste ver o que está acontecendo, mas precisamos superar e encontrar uma alternativa” ­– se conforma ela com um olhar de cortar o coração.

Já o proprietário de um resort à beira-mar luta com as forças que tem para evitar o que parece ser inevitável. Há cerca de um ano e meio, ele e muitos outros investidores com maior poder aquisitivo têm “agido” contra a força da natureza. Primeiro, ele colocou sacos de areia dentro do mar para impedir que as ondas avancem com a fúria habitual para o naco de costa que sobrou. Nos próximos dias ele deve repetir o processo, desta vez, nos metros de areia que ainda separam o jardim do seu resort do Mar da China Meridional. Sobre o futuro? Ele diz que está fazendo o que pode. “Depois verei como as coisas irão ficar” – resume, sem mostrar muita convicção de que o “possível” será o suficiente.

 

Ainda vale a pena ir a Cua Dai?

A resposta é sim. Pelo menos, para conhecê-la enquanto há tempo. Trechos da praia, que têm cerca de 6 km de extensão, ainda não foram afetados e conservam um visual bem legal. Aliás, com o movimento em baixa, os  preços se tornaram convidativos. Do centro da cidade de Hoi An (que é patrimônio da Humanidade pela Unesco – e também merece um visita) até Cua Dai, a corrida de táxi custa o equivalente a 90.000 dongs, algo como R$ 14,00. O trajeto também pode ser feito de moto (diárias saem por cerca de 70.000 dongs, ou pouco mais de R$ 10,00).

 

Como chegar a Cua Dai

O aeroporto mais próximo é o de Da Nang, a 30 km de Hoi An. De lá, você pode pegar um ônibus (amarelo de número 01), direto para a rodoviária de Hoi An (que é bem acanhada, por sinal), ou um táxi, que é mais rápido e caro. Enquanto a passagem de ônibus não sai mais do que R$ 7,00 (o trajeto é feito em 1 hora), o táxi pode custar até R$ 70,00 (35 minutos de deslocamento), o que também está longe de ser um absurdo.

 

Caminhar pela areia é coisa do passado em Cua Dai

 

Dois corajosos turistas (um da Áustria e outro da França) enfrentam o mar revolto. Eles podem estar entre os últimos a dar um mergulho por lá
Dois corajosos turistas (um da Áustria e outro da França) enfrentam o mar revolto. Eles podem estar entre os últimos a dar um mergulho por lá

 

Desolação e abandono marcam o que até pouco era uma das principais praias do Vietnã
Desolação e abandono marcam o que até pouco era uma das principais praias do Vietnã

 

Vídeo: A ‘culpa’ é de quem: do homem ou da natureza?

A força da maré assusta e confirma: vai ser difícil segurar a natureza por muito tempo.

Salus Loch

Salus Loch

Salus Loch é jornalista, advogado, escritor e fotógrafo amador, mas, acima de tudo, é um apaixonado por contar histórias e conhecer o mundo. Cada canto dele, se possível. Neste blog ele vai narrar, através de reportagens e fotos, um pouco de suas andanças – que cortam, no momento, o Sudeste Asiático. Detalhe: assim como você, ele evita gastos desnecessários em viagens. Os mochileiros irão gostar!

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.