Despedida e grandes aprendizados

Olá Pessoal!

Chegamos ao nosso último post. Já voltei pra “minha realidade” há 1 semana e posso assegurar que agora estou no meio do processo de aprender a lidar com tudo o que passei durante essas 3 semanas, literalmente INESQUECÍVEIS.

Bom,vamos começar do início, ou melhor, de onde parei no 11º post!

No dia seguinte arrumei minhas coisas, me despedi de todos e segui junto com a Marie para o aeroporto. No táxi aquele silêncio e algumas tentativas de conversa até que nos demos conta que era por causa da estranha sensação de ir embora.

Parece engraçado, mas o tempo passou voando por um ângulo e outro. Tínhamos a impressão de já estar morando por ali há pelo menos 6 meses de tão envolvidos e ‘entranhados’ naquela cultura e no trabalho que exercíamos nos projetos.

Durante o voo de volta ao Brasil vim ouvindo meu iPod e recapitulando cada episódio dessa experiência incrível que acabei de ter. Por um momento me escorreu uma lágrima para começar um choro de emoção, que na verdade foi logo engolido quando me dei conta que havia outras pessoas ao meu lado.

Quanta coisa eu consegui fazer, quanta gente consegui ajudar em poucas semanas. E mais ainda, as pessoas que conheci e ajudei, o tanto que elas fizeram POR MIM. Tenho plena ciência de que eles ME ajudaram muito mais do que eu a eles. E isso me deixa feliz e triste ao mesmo tempo.

O que é esse sentimento estranho que não sei bem explicar exatamente o que é? Muito menos sei lidar com ele. Não sei se é tristeza ou felicidade!? Como assim…sentimentos opostos e juntos ao mesmo tempo?

Cheguei em casa e no dia seguinte fui trabalhar normalmente, precisava agilizar várias coisas no escritório, pois eu tinha apenas 3 dias no Brasil para ajustar tudo antes de entrar em um avião novamente. Desta vez vou para Berlin para representar a CI uma importante conferência.

Em Berlin irei visitar um casal de grandes amigos muito queridos e a linda bebê que acabaram de colocar no mundo e que, coincidentemente, chama-se Martina (mesmo nome da amiga irlandesa que fiz enquanto estive no Nepal).

Como puderam ver não tive muito tempo ainda para processar e entender 100% o que está acontecendo comigo. Tudo o que sei é que me sinto estranho, mas não sei exatamente o que é.

Enfim, vou deixar o tempo me dizer. Bati um papo rápido com uma amiga do trabalho que me acrescentou bastante para começar o processo de absorção disso tudo. E então aqui estou eu, no London Heathrow Airport, durante uma looooonga conexão voltando de Berlin para meu lar doce lar em São Paulo.

A conferência foi ótima e muito produtiva. Além de rever meus amigos brasileiros que vivem nesta cidade linda, também conversei com parceiros de trabalho de várias nacionalidades, cujo alguns inclusive, viraram grandes amigos também.

Tá bom! Por que estou falando esse monte de coisa da minha vida ‘real’ pós Nepal? Chega né Gabriel!? Se empolgou escrevendo aqui e não quer mais parar é!?

Hehe.. Olha de certa forma sim! Curti muito contar tudo para vocês. Mas não é por isso não. E sim para que saibam que as coisas estão voltando ao normal, mas ainda tenho dentro de mim a sensação de que agora creio entender melhor, e isso chama-se MUDANÇA! Algo dentro de mim mudou e para sempre.

Impressionante como estou enxergando melhor sem sequer ter ido a um oftalmologista. Hehe…desculpem. Não podia perder a oportunidade da piadinha sem graça.

Sim, sei que algo dentro de mim mudou para sempre. Mas é algo entre eu e eu mesmo se é que me entendem. Continuo com o mesmo senso de humor e digamos assim, em um ponto de vista macro, o mesmo Gabriel que todos conhecem.

Vejo melhor. Vejo coisas que antes estavam no meu nariz e não as via. Acho que estou mais tolerante e paciente também. Afinal não adianta atravessar o mundo, seja para o que for.

Você NÃO IRÁ MUDAR o mundo ou as pessoas. Quando disse a vocês que algo mudou dentro mim, me refiro apenas que hoje vejo melhor e com isso habilidades que sempre tive ficaram mais aguçadas e perceptíveis aos meus olhos.

Continuo com minhas limitações como qualquer outra pessoa, mas entendo também que precisamos VER e COMPREENDER para então conseguir ajudar outras pessoas especialmente a nós mesmos.

Estou me sentindo bem e tranquilo comigo mesmo.

Claro, não posso deixar de comentar que assim que chegar ao Brasil farei uma pesquisa entre os órgãos que temos e dentro da minhas limitações ajudar mais no meu país também.

Imaginem só: Se cada um de nós fizesse ao menos a sua parte (que é tão pequena). Quem sabe assim, JUNTOS, não conseguiríamos melhorar o mundo hein!?

E para quem quiser ter essa experiência, a CI te oferece não só oportunidades como a que tive no Nepal, mas várias outras também!

Valeu pessoal!!

FIM

Trilha sonora do último post:

Imagine – John  Lenon : Across the Universe

 

Playlist completo do Blog: Além do Himalaia !

Let Go – Frou Frou

Onde of These Things First – Nick Drake

King and Lionheart – Of Monsters and Men

Yellow Light – Of Monsters and Men

Gabriel Canellas

Gabriel Canellas

Paixão por cozinhar e viajar! E também...COMER! Canellas considera muito importante provar os sabores dos lugares que visita. Nessa aventura além do Himalaia, serão 2 semanas de trabalho voluntário no Nepal e uns dias na Índia, passando por Delhi, Varanassi e Agra. Acompanhe a fantástica experiência.

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.