Ganges, comidas, hindi e muito mais…

Hoje fiz tanta coisa que já parece que estou a 1 semana!

Às 5 da manhã bateram na minha porta  para ir até o Ganges pegar o barco e dar um rolê no rio! O sol ainda não tinha nascido, então como vocês já devem saber, tudo MUITO escuro! Na boa, essa gente é meio ‘gato’ só pode! O povo anda numa boa como se enxergasse tudo, enquanto eu, ao mesmo tempo que tento não perder de vista.

Algumas curiosidades: As vacas são sagradas porque nelas contém o leite, considerado bebida sagrada; O nome do Rio vem da esposa de Shiva que chama Ganges, por isso é sagrado e onde se jogam as cinzas dos corpos cremados, mas quando o morto é ainda bebê é levado de barco (sem cremar) até o meio do Rio e largado por lá.

Me informei com o Prabha, se ele também se banhava no Ganges e quantas vezes ao ano. Sua resposta foi : entre 5-6 vezes por ano, sempre que há alguma ocasião especial, de acordo com ele isso é OBRIGATÓRIO! Ah..e quando alguém da família morre, os familiares também devem banhar-se!

Muita gente diz o quanto esse rio fede, mas sinceramente, ou meu nariz está com defeito ou depois do Tietê não percebi nada demais. Olha Sampa bombando aí gente!!hehe

O dia já estava clareando, quando vejo aquela bola de fogo enorme nascendo na outra margem, o Sol! Lindo e exuberante, refletindo toda a sua energia em nós e em tudo o que beira o rio, edifícios, templos, pessoas se banhando e rezando até os animais! Foi INCRÍVEL para não dizer INESQUECÍVEL! As fotos estão postadas para vocês verem!

Do Ganges, a caminho de volta, eu já estava faminto e o gringo da Hungria que estava comigo já não parava de ‘miar’ na minha orelha que estava com fome! Mas que saco!! Eu também tô com fome, será que dá para esperar até as coisas abrirem? Eram 8 da manhã e os ‘estabelecimentos’ estavam abrindo ainda. Enfim, achamos um lugar que se dizia padaria, subimos um milhão de degraus porque o troço era no topo com vista para o rio, bem bonita por sinal, ate me lembrou um pouco o estreito de Bosphorus em Istambul.

Queria recarregar minhas energias. Eu tava a fim de um belo pacote de biscoitos e pronto, tudo certo! O gringo teve a mesma impressão do lugar e resolveu me seguir até um vendinha qualquer, com uma senhora muito simpática, que nos vendeu pacotes de biscoito e refrigerante. Pronto! Recarregamos as energias e partimos para Sarnath , onde Buddha fez seu primeiro discurso após ser iluminado.

Quando chegamos de volta ao hostel, dei só uma descansada antes de seguir para o Norte de Varanasi, onde fica o ‘Monkey Temple’ do Deus Hanuman, que tem mesmo umas formas de macaco. Infelizmente o segurança não me deixou entrar com a máquina, mas conto para vocês que o lugar é minado de macacos soltos em liberdade.

No Norte, era onde aquele primeiro carinha que conheci no taxi, lembram dele? Pois é, ficava falando que eu deveria porque deveria ficar no norte etc e tals! Na boa? Bobagem! Fiz bem em ter ficado por aqui, porque estou vivendo uma atmosfera puríssima indiana, experiência inigualável, confesso!

Ah sim! esqueci de dizer que o gringo depois do ‘café da manhã’ é claro que ainda estava com fome e quando estávamos em Sarnath, eram 11h30 da manhã e ele assim que viu um restaurante já queria comer! Tá booom…assim pelo menos já me encho e não preciso ficar procurando onde comer depois. Pensei “ Onde fui amarrar meu bode!” Calma…é bode ou outro bicho que fala? Bom, vocês entenderam , seja lá que bicho for! Sacola hein!?

No cardápio tinha opções para quem não estava com tanta fome e rolava uma foto ao lado do título “Snacks” e na foto tinha algo que vi algumas pessoas comendo na minha primeira noite que me deixou bem curioso. Apontei e perguntei o que tinha ali e adivinha a reação? Fazia cara de que entendia tudo, quando na verdade a única coisa que ele tinha entendido era o meu dedo apontando a foto e a minha cara de interrogação, e assim sendo, o moço se pôs a falar comigo em hindi!!
A Índia tem mais de 400 idiomas e dialetos, tá fácil né!? Mas as línguas oficiais de administração federal são o inglês (hein??) e o híndi. Por isso minha dedução!

Bom, percebi que ele pediu um minuto e de repente me apareceu com uma pessoa nova, que se ‘comunicava’ melhor em inglês. Vamos lá, outra vez…”O que tem aqui?” perguntei novamente apontando para a  foto, entendi que era tipo um pão recheado com batata, grãos e tomate, acompanhado com vegetais ao curry e uma sopa branca e gelada, que só provei, mas não me atrevi continuar tomando. O maldito receio da água que não foi fervida, mas não vou arriscar MESMO! Tem foto aí para vocês verem e pra falar bem a verdade, o resto tava bem gostoso, e claro bem picante também!

No fim do dia voltei para “casa” exausto! Mas não demorou muito o tal irmão do Prabhu, o qual não consigo de jeito nenhum lembrar o nome, veio perguntar se eu não queria ver a cerimônia para Ganges que fazem toda noite a beira do rio! Nem pensei 2x, catei minha máquina fotográfica, dinheiro e claro, a porcaria do vício (cigarro) e corri atrás dele.
Pessoal, mais uma vez, IMPRESSIONANTE!

Agora chega por hoje que dessa vez tem um monte de fotos para vocês poderem “moldar” melhor a imaginação que criam ao ler os posts.

Amanhã as 13h sigo para o aeroporto de Varanasi e embarco para Delhi, onde passarei 2 noites antes de ir ao Kathmandu, no Nepal!

Bye e até o próximo!

Gabriel Canellas

Gabriel Canellas

Paixão por cozinhar e viajar! E também...COMER! Canellas considera muito importante provar os sabores dos lugares que visita. Nessa aventura além do Himalaia, serão 2 semanas de trabalho voluntário no Nepal e uns dias na Índia, passando por Delhi, Varanassi e Agra. Acompanhe a fantástica experiência.

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.