Hora de pedalar!

Três, quatro pedaladas e o vento já está agitando os cabelos, a endorfina começa a encharcar a corrente sanguínea e o prazer de andar de bicicleta se explica. Para quem não consegue se separar da magrelinha nem mesmo longe de casa, a gente preparou um guia das melhores cidades do mundo para usá-la como meio de locomoção. E nada de esquecer o capacete, hein?

Junte

América do Norte

Junto com a Europa, é na parte de “cima” das Américas que encontramos os melhores espaços para o “slow bike”, movimento que amálgama o amor pelo trajeto [em detrimento da velocidade] e a busca por uma convivência segura no trânsito.

Portland é um grande exemplo da receptividade ianque aos amantes do ciclismo. Além de ter 11 vezes mais ciclistas que a média nacional dos EUA, a cidade também tem inúmeras locadoras, quase 420 quilômetros em ciclovias e hotéis que barateiam sua hospedagem se você preferir a bike a um carango como meio de transporte. Tão preparada Portland está que no site oficial do município é possível encontrar guias e rotas para os amantes das pedaladas.

Outro grande nome nesse mapa é São Francisco, cidade que recebeu de pneus cheios o Critical Mass, grupo de ciclistas que começou promovendo manifestações pró-bicicleta em Estocolmo, na década de 70 e hoje está no mundo inteiro. Tanta receptividade fez com que, na última década, o número de colisões envolvendo ciclistas caísse pela metade e o de donos de bikes crescesse o dobro. Boa matemática, certo? Some a isso um esforço da cidade em trocar estacionamentos para carros por bicicletários, distribuir adesivos para retrovisor com um sagaz “Atenção aos ciclistas” e criar um programa de compartilhamento de bicicletas, em que 500 dessas belezocas serão disponibilizadas aos interessados em pagar uma mensalidade pelo serviço até meados de 2012.

E para não dizer que não falamos dos caras mais legais do planeta, Ottawa aparece na nossa lista sem timidez: 170 quilômetros em ciclovias ligam a cidade inteira, passeios são organizados pela prefeitura, com direito a guias, o transporte público foi adaptado para receber ciclistas… Achou pouco ou quer mais?

lá em cima, na URL do post

 


Europa

Não há título mais justo para Amsterdam que “capital européia do ciclismo”. A cidade é totalmente entrecortada por ciclovias, o governo promove e incentiva fortemente o uso das duas rodas em vez das quatro para locomoção e a ideia foi comprada não só por quem não tem grana para bancar um carro, mas por todas as classes sociais. Tudo isso deu à capital holandesa a fantástica e invejável marca de 40% de seu trânsito ser composto por bicicletas.

Berlim também não fica atrás: a comunidade pedaleira da capital alemã reúne 400 mil membros, todos os dias, passeando, cuidando da vida, indo ao trabalho. Não vai ser difícil para você se sentir em casa.

Continuando o nosso passeio chegamos a Copenhague, Dinamarca, onde UM TERÇO da força de trabalho – de todos os setores – vai para seus trabalhos de bicicleta. Com isso, todos os dias a cidade atinge a marca de mais de um milhão de quilômetros pedalados. Mais de um milhão, TODOS OS DIAS. Ali pertinho, a comunidade de Christiania foi declarada uma cidade livre, não só da interferência do governo dinamarquês, mas também de carros. Lá, tudo é feito a pé ou de bike.

Na Itália, são 95 cidades que encaram a bicicleta como a grande solução para o transporte público. Espalhadas por todas as regições, os centros de aluguéis contemplam modelos dos mais variados e mapas que garantem um trajeto tranquilo. Para mais informações, acesse o Centro in Bici, organização que reúne as cidades participantes.

Fechando nosso bike tour europeu, chegamos a Paris, cidade que criou o Vélib’, um dos maiores programas de aluguel de bicicletas públicas do mundo inteiro. São mais de 1450 postos de aluguel, espalhados pela cidade, e se a sua necessidade de transporte durar menos de meia hora, o aluguel sai de graça. Se precisar de mais tempo, nada tema: um ticket para um dia inteiro de uso do Velib’ sai por inacreditáveis 1,70 €.

SOMENTE AS LETRAS ENTRE OS NÚMEROS

Resto do mundo

A Cidade do Cabo está aprendendo que é muito melhor dar umas pedaladas que pisar fundo no acelerador. De 2002 para cá, mais de 30 mil bicicletas foram distribuídas à população para incentivar o ciclismo como meio de transporte. A previsão é que esse número mais que triplique até 2015.

Um pouco mais a nordeste no mapa mundí e chegamos a Beijing, talvez a cidade com mais bicicletas no mundo: mais de 1 bilhão delas se espalham pelo território da capital chinesa, sendo usadas para praticamente TUDO.

E para finalizar, Perth, na Austrália, é outro grande exemplo de que se locomover pode ser algo divertido, revigorante e não poluente. São mais de 700 quilômetros de ciclovias e uma área do site oficial da cidade especialmente dedica aos mapas dessa malha cicloviária.

Vamos pedalar? 🙂 Em que cidade do mundo você se sentiu mais à vontade para por a magrela na rua?

e você descobrirá qual é o código secreto pra ganhar a bike!


Em tempo: se quiser saber mais sobre o Slow Bike, o movimento mantém um grupo no Facebook aberto à participação de qualquer um. Aparece lá! 🙂

 

CI Intercâmbio e Viagem

CI Intercâmbio e Viagem

A CI Intercâmbio e Viagem produz o blog Caia no Mundo e é a maior empresa de intercâmbio e turismo jovem do Brasil. Mais de meio milhão de pessoas já embarcaram com a CI para conhecer o mundo em viagens que unem estudo, trabalho e lazer.

Saiba mais em ci.com.br

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.