Incenso, Cominho e muito mais

Chegou meu último dia no Orfanato! Confesso que tive que engolir o choro algumas vezes ao longo do dia.

Por um lado me sinto culpado por não conseguir lembrar os nomes das crianças que me deram tanto carinho durante todos esses dias, mas por outro uma sensação estranha de que ao mesmo tempo que contribuí com todos no projeto, eles contribuíram muito mais comigo.

Quando entrei pelo portão do orfanato, não consegui tirar da minha cabeça nem por um minuto que este seria meu último dia e que talvez eu nunca mais os veja.

Dentre todas as crianças houve uma que me cativou mais do que as outras, esse eu lembro o nome, Nishant. Quando falei para ele que era meu último dia no projeto, ele colocou um bico enorme na boca e disse : “Último dia?? Nããão!!” e se atracou em mim pelo resto do dia. Brigava com todas as crianças quando se aproximavam para brincar comigo.

Há uns 5 anos atrás, o governo nepalês proibiu que estrangeiros adotassem crianças e recentemente nem nepaleses podem adotar. Uma situação muito crítica e triste. As crianças tomam apenas 1 banho por semana, por não terem muitas roupas passam a semana sujas e de tempo em tempo, raspam a cabeça para evitar pragas.

No mesmo dia, apareceu um grupo acompanhado do embaixador do próprio país (não posso mencionar o país), dizendo que era o dia do voluntário para eles. Apareceu um grupo de uns 20 gringos, todos com camisas promocionais com a bandeira do Nepal e o país X, fazendo a maior propaganda enquanto o embaixador fingia usar uma vassoura. Passaram quase 1h só tirando fotos do grupo e não faziam NADA.

Colocaram luvas para tocar nas plantas e nas crianças, que por sinal, quase não deram bola. O pior foi quando eu ia embora que um deles estava na porta e com a cara mais lavada me perguntou quem sou e de onde eu era? Respondi: “ Gabriel, sou do Brasil e sou voluntário aqui!”, o cara de pau teve a coragem de dizer que nunca havia me visto por lá. Então Respondi de novo “ Estranho, porque estou aqui TODAS as manhãs e tardes!” Ele sem graça me diz “Ah tá! É que é a primeira vez que venho aqui!”  Oi ? Hã ? Perdi alguma coisa ? Não entendi NADA, mas enfim! UM ABSURDO!

Quando passei pelo portão, Nishant me olhava de canto de olho super magoado. Fiquei com o coração partido. Só de lembrar meus olhos ficam cheios de água.

Ah! Esqueci de falar para vocês que na semana passada, 3 voluntários foram embora, então agora estamos em 6, de 5 nacionalidades diferentes. Um mix super legal (França, Holanda, Espanha, Irlanda e eu).

Outro dia, nos juntamos, voluntários e o pessoal do Idex Nepal. Fomos à Bhaktapur, vilarejo que fica à quase 1h de estrada e onde tem a estátua de Shiva mais alta do mundo, com 46 metros de altura!

Linda demais!

Na volta, como ainda era dia e por sinal MUITO calor, resolvemos parar no supermercado e comprar algumas coisinhas para fazer uns coquetéis no terraço de casa. Estávamos todos bem empolgados com este super ‘evento’ , afinal adoro uma festa, não sei o que é isso desde que saí do Brasil e o mais estranho é que não me fez a MENOR falta.

Enfim, compramos tudo e fomos para terraço tomar nossos drinks em canecas de metal, super chiques, rs. Era o que tinha. Queríamos ir para Thamel, bairro no centro de Kathmandu, achar alguma baladinha. Nos arrumamos e partimos. Mas antes precisávamos parar em algum lugar para jantar.

Chegamos em Thamel e achamos nosso restaurante “ Helena’s”. Comemos e pedimos a sobremesa, que era o nosso maior objetivo. Este restaurante é conhecido por fabricar as melhores sobremesas ‘Ocidentais’ da região. Desculpa gente, mas eu PRECISAVA de um bolo de chocolate decente e bem escuro. Minhas 2 primeiras tentativas não foram nada boas, tudo com gosto de velho e muito industrializado.

Olha, posso falar para vocês que valeu a pena! Estava DELICIOSO. A única coisa é que quando terminamos, estávamos mortos de cansaço e doidos para voltar pra casa.Rsrsrs… Pessoal, eram 20h30 ainda. É, por aqui as coisas são muito diferentes. Saidinhas a noite começam às 17h30 mais ou menos e às 23h, no máximo 00h, está tudo fechado. Não acreditei nem em mim, por querer voltar para casa. Parecia que eu já tinha feito minha balada, pode!? Meus amigos que estão  lendo agora, não devem estar acreditando. rsrs

Chegamos em casa, colocamos um filme que eu só lembro do início e de acordar hoje de manhã. Eu e Martina fomos a um Monastério Budista e passamos o dia lá.

Conto mais no próximo post! Inté galera!! Estamos chegando ao fim!

Trilha sonora para vocês : Of Mosnters and Men – Yellow Light

Gabriel Canellas

Gabriel Canellas

Paixão por cozinhar e viajar! E também...COMER! Canellas considera muito importante provar os sabores dos lugares que visita. Nessa aventura além do Himalaia, serão 2 semanas de trabalho voluntário no Nepal e uns dias na Índia, passando por Delhi, Varanassi e Agra. Acompanhe a fantástica experiência.

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.