Japão: A melhor viagem da minha vida!

Quando pensei em fazer uma viagem com um destino exótico e cultural nenhum outro destino veio em minha mente que não fosse o Japão. Hoje, trago para vocês um pouco sobre a melhor viagem da minha vida!

 

26 horas voando

Não me preocupei com quanto tempo demoraria para pousar em Tóquio, se eu iria chegar com um fuso horário na minha cabeça todo embaralhado e que eu só sabia falar ARIGATÔ e Mr. Miyagi , nome do professor do Daniel Sun do Karatê Kid (meu filme favorito). Eu só tinha uma certeza: eu queria ir, conhecer, desbravar, aprender, e isso teria um preço: mais de 26 horas dentro de um avião.

Minha viagem teve uma parada em Los Angeles e eu não conseguia descansar pois a ansiedade era grande e mal poderia esperar para ter no meu passaporte o carimbo de um país com uma cultura tão milenar.

E chegando no aeroporto de Tóquio, a impressão foi a melhor possível: pessoas respeitando as filas, falando baixo, uma limpeza que eu nunca tinha visto antes, bem sinalizado e o melhor: Eles falam inglês! Ainda assim, você pode aproveitar a viagem e aprender japonês, a CI tem essa opção para você.

 

O primeiro dia em Tóquio

Estava cansada demais para não ir direto para o hotel, mas a primeira visita seria no dia seguinte, desbravando o mapa da cidade. A  começar por conhecer nossa guia Sue, voluntária , que nos levaria cedo à estação de Shinjuku, a estação mais movimentada do mundo, por onde passam mais de 2 milhões de pessoas diariamente!

Eu me perguntava como seria conhecer aquele povo tão à frente do nosso tempo, principalmente com relação a tecnologia ( eles trabalham das 9 da manhã até meia noite, todos os dias, esse é o horário do último trem deles. E isso é normal, faz parte da cultura deles) e ao mesmo tempo com tantas referências e reverências a seus antepassados.

Foi dia de passear muito, desbravar aquele lugar mágico. É uma mistura do novo e do antigo. Tudo junto e misturado, mas muito organizado.

E a comida?

Aprendi logo de cara, com a comida do avião, que a comida tradicional do Japão  não é sushi e sashimi como no Brasil. Lá eles comem muito gohan (arroz), missoshiro (sopa), lamen, udon (macarrão), tempurá e kare (curry), inclusive no café da manhã. Eles raspam o prato mesmo, devido à guerra. Não deixam um grão de arroz. E fazem barulho ao comer, pois é uma demonstração de que está gostoso.

 

Peculiaridades dos japoneses

  • O ambiente pode estar lotado mas você não escuta um “pio”. Ninguém atende o celular dentro do metrô. E apesar de lotado, é super silencioso e organizado ao entrar e sair. Todos ficam no celular sem fazer barulho e não atendem ligações. Ah, e eles usam máscaras para não passar gripe para os outros;
  • Vi 4 crianças juntas, com roupa de escola, de aproximadamente 6 anos de idade e andando de metrô sozinhas, esperando seu ponto de descida;
  • Maquininhas por todo lugar: É tudo muito prático e a cidade tem máquinas para tudo: bebida, comida e até artigos de luxo;
  • Foram 10 dias intensos, mas que deu para fazer tudo que um dia sonhei em fazer.

 

Permita-se ser curioso

Estando no Japão, você deve se permitir e se entregar à sua curiosidade. Experimente tudo, seja curioso e respeitoso. Faça aula de artes marciais, acenda incensos em templos e faça uma pedido em um dos milhares de papeizinhos que eles entregam nas entradas do templos, ande em parques milenares, peça uma sopa quentinha (Iamen) e se permita fazer barulhinho no final da tigela (Pois vai estar delicioso!).

Também passeie pelos inúmeros mercados e descubra toda a variedade de saquês, há mais de 300 tipos nas prateleiras, ande de trem bala, atravesse na faixa, faça reverência aos mais velhos (quanto mais para baixo, mais profundo a sua demonstração de agradecimento).  Se tiver tempo. tente ver as gueixas nas ruelas de Kioto, cidade próxima de Tóquio. Se surpreenda com este lugar fascinante e com arquitetura milenar.

E um capítulo à parte: O Monte Fuji! Seja paciente e espere as nuvens se dissiparem para que você possa avistá-lo imponente do alto da montanha na cidade de Hakone. É impressionante, assim como os parques dos bambus.

 

Educação e limpeza

Os japoneses são muito educados, o tempo todo. E apesar de ser uma metrópole movimentadíssima, o trânsito é muito organizado, sem muito caos e sem buzinaços.

Além disso, a cidade é muito limpa, não é possível encontrar nenhum lixo no chão, cada cidadão é responsável pelo seu próprio lixo e, por isso, não tem lixeira nas ruas. Percebi isso depois de segurar por mais de 20 minutos uma latinha de refrigerante e não achar onde descartar. Eles guardam seus lixos para descartá-los em casa não sujar a rua. Eles também não têm o hábito de comer pela rua.

 

Espiritualidade

O Japão é um país muito espiritual e místico. Tudo tem um significado e não se vê muitas farmácias pela rua. Me deixou com a sensação de que eles se curam através da ótima alimentação alimentação, meditação, chás e ervas, o que talvez explique a longevidade dos japoneses.

 

Para mim, viajar tem um significado: poder se  transportar para um lugar diferente do seu , e só penso como valeu cada hora dentro daquele voo que pareia que não ia chegar nunca. Japão realmente será uma viagem que ficará sempre na minha memória como o país mais incrível que já conheci (até agora).

 

Arigatô

 

 

Receba um orçamento para o seu intercâmbio ou viagem!

Avatar

Vivian Neder

Trabalho com intercâmbio desde 1995 tendo enviado mais de 3.000 mil brasileiros para estudar fora do Brasil e tenho 8 anos como integrante do grupo CI. Sou apaixonada por viajar e sempre escolho destinos pouco procurados, como Jordânia, Hungria, República Checa, Israel, Japão dentre outros. Sou curiosa nas minhas viagens e experimento de tudo sem medo e com muito respeito a culturas diferentes da minha.

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.