Let´s go esqui


Temperatura abaixo de zero, neve e um desafio: aprender a esquiar. E assim foi meu último dia de 2009…

Logo cedo, começaram os preparativos: café da manhã reforçado (que aqui nos EUA significa omelete, bacon, panquecas…), roupas especiais para neve (que aquecem o corpo e são a prova de água), luvas, gorro, botas, par de esquis, capacete, óculos… É coisa que não acaba mais.

Quando por fim chegamos à estação de esqui, as crianças já estavam exaustas e mesmo antes de começar a aula, precisaram de um intervalo. Também, o desafio é ainda maior quando se tem apenas quatro anos.

Energias recuperadas era hora de receber as instruções e então, descer a primeira montanha: o tapete mágico (espaço exclusivo para iniciantes). Nada muito difícil. Tínhamos que nos concentrar em executar basicamente dois movimentos: “french fries” (os esquis devem estar paralelos) para acelerar e “pizza” (os esquis devem formar um triângulo à frente do nosso corpo) para frear. Muito didática as instruções, especialmente para as crianças que eram muitas por lá.

Movimentos bem executados, curvas bem feitas e uma nova montanha para encarar: Açúcar, o espaço para intermediários. Uma descida mais radical que o tapete mágico e menos perigoso que o topo. Na primeira descida, sucesso absoluto. Na segunda vez, escorreguei em uma curva e cai. Nada muito grave, até ter que levantar, aí sim é um desafio. Equilibrar os esquis na neve e no meio da descida sem ter onde se apoiar…quando lembro hoje em dia, dou risada sozinha.

Já estava mais que satisfeita, afinal na minha estréia no esqui já tinha ido bem na montanha intermediária. Mas ainda o desafio não estava completo e antes de deixarmos a estação de esqui fui surpreendida pelo convite dos meus hosts families para ir ao topo e encarar a montanha mais radical. Eles estavam orgulhosos do meu desempenho esquiando e tinham certeza que eu iria me dar bem lá em cima. Medo, ansiedade e excitação. Criei coragem e fui.

Gente, é muito alto. A vista, maravilhosa. Ficaria lá em cima horas só observando. Mas o objetivo era descer. Então, lá fui eu. No começo, apesar de assustar um pouco com a altura, não tive problemas. Mas lá no topo tem mais gelo que neve o que dificulta os movimentos nas curvas. Durante o percurso, derrapei umas vezes, me joguei no chão outra porque não conseguia frear e ainda fui atropelada por uma menina com snowboard (a prancha dela entrou embaixo dos meus esquis e lá foi todo mundo para o chão). Tudo muito divertido.

Amei ter aproveitado o meu último dia do ano fazendo algo totalmente novo até então. Sem dúvida, esquiar para mim é o melhor do inverno por aqui.

Galeria de fotos:

Ana Elisa von Ah Morano

Ana Elisa von Ah Morano

A Ana vai contar pra gente tim tim por tim tim como é ser Au Pair nos Estados Unidos

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.