Living… Just living!

Estava com muito gás para passar minhas últimas horas no Brasil em um avião e seguir para uma grande cidade que sempre foi um grande sonho conhecer, não só por conhecer, e, sim para viver em breve, tenho planos assim como qualquer pessoa morar fora do Brasil, mas estou falando de planos dentro da minha nação, eu gosto da cidade que eu nasci, mas eu quero crescer, não quero mesmice sempre, e também as oportunidades de trabalho… Mas os planos no momento é sim passar seis meses fora da minha nação, longe dos meus pais, longe dos meus amigos, longe de tudo que tenho de prazeroso.

São dois meses aqui e eu tenho muitas histórias para contar, algumas já compartilhadas com vocês, sobre momentos aqui, quem mais atualizado do que vocês mesmo que neste exato momento estão lendo este texto então.

Eu sempre soube que algum dia eu teria que deixar quem eu amo e crescer, eu lembro como hoje, cada pedacinho antes de vim para esta grande experiência da minha vida, eu lembro quando estava pegando o primeiro avião do dia, e estava dizendo “Adeus” a minha mãe, e estava consolando ela, falando para ela não chorar, eu estava bem e era o que eu sempre quis, estava indo realizar meu sonho.

Em dois meses eu posso dizer que estou seguro no meu inglês, consigo entender as pessoas e as pessoas me entendem não perfeitamente tudo ainda, porque nada é perfeito e ainda tem chão para ser conquistado.

Aprendi muitas lições que vou levar para minha vida toda, são muitas emoções a cada dia, eu sei que às vezes eu posso falar “Ah eu não sinto falta de nada”, mas eu sei o que eu sinto lá no fundo do meu coração, mas esta frase é apenas para eu não ficar pensando muito em tudo que deixei, para eu aproveitar todos os momentos aqui.

Mas tem exatos momentos que ás vezes você para e fica pensativo e volta para o Brasil, para sua cidade, para sua casa, para seu quarto, para sua escola, para momentos com sua família, amigos… É difícil viver com a saudade!

Posso dizer também que fico pensando também em momentos aqui mesmo no Canada, um bem lembrado sempre por mim é quando eu estava aterrissando em Toronto e quando eu estava vendo pela janelinha aquela cidade linda eu fiquei muito emocionado, por que não era mais um sonho…

Juro que eu tento gravar todos os momentos seja fotografando, gravando vídeos, mas eu esqueço porque eu prefiro curtir o momento a mesmo lembrar que tenho uma câmera.

Eu vivo de desafios, e encaro com toda sinceridade do mundo, eu sempre ouço da minha mãe que não tenho nada dela, acho que no fundo ela sabe que tenho a força de vontade que ela tem que tenho sangue de guerreiro (batalhador) assim como ela, eu sei, que quando ela me ouvia dizer que um dia eu ia viajar o mundo e ela começava olhar para mim, e do nada ria, ela sabia que um dia eu ia crescer e poderia realmente virar realidade, eu sempre quis isso e nunca escondi de ninguém, e só está começando.

É claro que eu lembro quando cheguei aqui, o que eu fiz, todos os momentos estão gravados na minha cachola, o que aconteceu depois do dia treze de setembro quando meu mundo parou e eu não sabia exatamente o que ia fazer, era tudo o que eu menos esperava quando estava tudo feliz, eu tinha que mudar de casa, ainda esperava noticias da minha coordenadora local porque ela ainda estava procurando uma nova família para mim e eu em vez de abaixar a cabeça, encarei, sabia que eu tinha que começar tudo de novo, e continuo ainda sendo eu mesmo…

Hoje na minha nova casa, eu vivo na maior tranquilidade, eu sei que não são como a primeira sem regras, sem muitas risadas até altas horas da noite. Mas eu ainda vivo tentando dormir ás 10 horas da noite, eu nunca vou conseguir isso, já desisti. Tenho sido Dr. Dolittle conversando em inglês com os cachorros que se chamam “Tash, Jessie e Riley” eles são da raça Collin são muito inteligente, ainda hoje me impressiono com qualquer coisa nova que eles façam, meu favorito é o Tash, os gatos se chamam “Babie e Charlie” meu favorito é o Charlie ele é preto e diferente do que muitos vão dizer, ele não me dá azar, sempre fui fascinado por gatos pretos, mas os de cor laranja sempre serão os meus favoritos.

E para quem sempre quis saber quem são seus pais aqui, ou melhor, “Host Family” eles se chamam Margaret e Paul eles não são daqui da Nova Scotia, longa história, eles são grandes viajantes, pararam de viajar por um tempo, ou pelo menos, por um ano não é, a última aconteceu ano passado. Marg (como ela gosta de ser chamada) passou sua vida quase toda na Inglaterra, e Paul nasceu na Irlanda e veio com sua família muito jovem para o Canada, exatamente onde os dois se encontraram em Barrie, onde eu também tenho uma amiga Brasileira que está fazendo intercambio lá, eu aprendi conviver com eles e agora está voltando tudo a normal, tudo voltando em ordem, eles decidiram trocar em 2009 o estado de Ontario pela Nova Scotia, e os motivos são “Aventuras”, eles adoram plantar, cuidar dos animais, não tem apenas esses que citei acima, tem mais lá fora, acho que já contei a vocês sobre o “mini-zoo”, tem ovelhas, galinhas, cabras. Eu sempre falo, porque vocês não trabalham com leite, vocês podem vender e ganhar uma grande grana, ela sempre diz “É mais trabalhoso”, todas as ovelhas, cabras tem nomes, muito engraçados por sinal.

Sobre a escola, é sempre a mesma coisa, seja aonde ser, o que eu pensei que seria menor porque são poucas matérias, só triplicou, é sempre muita coisa para fazer e sempre para o outro dia, era tão bom quando passavam hoje, por exemplo, e ainda tinha dois dias, mas vocês adoram falar que vida de intercambio é fácil não é.

Eu estou muito bem aqui, obrigado a todas as pessoas que se preocupam comigo, que perguntam, que conversam comigo, obrigado às pessoas que comentam no meu blog, que entra em meu ask e realmente pergunta sobre Intercambio, eu adoro ajudar as pessoas, é muito gratificante vê que já tem pré-intercambistas nascendo e quando voltar já posso compartilhar o diário deles para vocês, obrigado a todos que estão assistindo o meu vlog, a quem aguenta entrar aqui sempre e ler meus textos nada bem feitos, desculpa se às vezes eu erro a ordem das coisas, eu nunca fui bom em isso de redação.

Obrigado mesmo, em breve eu volto para contar sobre as viagens por aqui, sobre os relatos sobre antes de chegar à Nova Scotia, sobre algumas coisas que eu escrevi, para mostrar mais vídeos, para falar de alguns feriados, tem muita coisa para falar.

Lucs

Lucas Amariz

Lucas Amariz

Lucas é um grande sonhador. Gosta de conhecer novas culturas, viajar, adora fotografia e música. Durante 6 meses cursará o programa High School, no Canadá.

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.