Lugares para visitar antes e depois de ficarem submersos

Quando não conhecemos bem uma praia ou enseada, às vezes é impossível saber se a maré está alta ou baixa. A variação de altura da água nessas fotos e vídeos mostra que, em alguns pontos do planeta, uma mesma paisagem pode valer por duas bem diferentes: a seca e a submersa.

Mas como a mudança leva horas para acontecer, não é preciso se preocupar. Basta estar bem informado sobre as condições específicas daquele local e ficar atento aos horários de cheia. E aí é só curtir essa inusitada maravilha da natureza.

1. Farol de St. Mary’s, Whitley Bay (Northumberland, Inglaterra)

As fotos a seguir foram tiradas pelo fotógrafo Michael Marten, que realizou um ensaio sobre essas grandes variações de maré no Reino Unido. Na imagem abaixo, a minúscula ilha de St Mary, ou ilha de Bait, ao norte de Whitley Bay, na costa nordeste da Inglaterra. A pequena formação rochosa está ligada ao continente por uma curta passarela de concreto que fica completamente submersa na maré cheia.

1
Crédito: http://www.michaelmarten.com/ Tiradas em 17 e 20 de setembro de 2008. Maré alta: 17h50. Maré baixa: 13h.

 

 

2. Porthcawl (Glamorgan, Inglaterra)

Situada ao sul do País de Gales, Porthcawl dá para o Canal de Bristol. A cidade tem sete praias, sendo que uma delas, na maré baixa, permite até ver alguns naufrágios. Outra das atrações da região, além do surfe, é a ponta do farol mostrada na imagem, cujas areias convidam a um agradável passeio na maré baixa, e, na maré alta, à pescaria e, quem sabe, até a um mergulho.

2
Crédito: http://www.michaelmarten.com/ Tiradas em 17 de maio de 2007. Maré baixa: meio-dia. Maré alta: 20h

3. Monte St. Michael (Cornualha, Inglaterra)

O castelo no monte pertence à dinastia dos St Aubyn desde aproximadamente 1650. As primeiras edificações, no topo, datam do século 12. O porto é do século 15 e o vilarejo e edificações mais altas foram reconstruídos de 1860 até 1900, dando à ilha sua configuração atual. Ligado à cidade de Marazion por uma passagem feita de pedras de granito, o monte tinha, em 2011, uma população de 35 pessoas.

3
Crédito: http://www.michaelmarten.com/ Tiradas em 25 e 26 de junho de 2009. Maré baixa: 13h15. Maré alta: 8h da manhã

4. Bay of Fundy (Canadá)

A Baía de Fundy é considerada o lugar de maior variação de marés no mundo inteiro. A diferença entre a maré alta e a baixa é de 3,5 metros na costa sul da Nova Escócia, mas chega à inacreditável marca de 16 metros na entrada da Baía, em Minas Basin. Um recorde mundial.

5. Sunrise, Turnagain Arm (Cook Inlet, Alasca)

Turnagain Arm, no Alasca, tem a segunda maior variação de maré da América do Norte, depois da Baía de Fundy, no Canadá. A maré, que pode chegar a 12 metros, sobe tão rapidamente que produz aquilo que conhecemos no Brasil como pororoca. Surfistas e entusiastas do caiaque se arriscam a dropar essa onda que avança pelo braço de mar. Mas atenção: pessoas a pé devem tomar cuidado para não atolar no lodaçal que sobra quando a maré está baixa.

 

*   *   *

 

Impressionante, não? Hora de escolher o Mochilão que vai levá-lo para um desses lugares mágicos, onde mar e terra se confundem diariamente, num indo e vindo infinito.

 

CI Intercâmbio e Viagem

CI Intercâmbio e Viagem

A CI Intercâmbio e Viagem produz o blog Caia no Mundo e é a maior empresa de intercâmbio e turismo jovem do Brasil. Mais de meio milhão de pessoas já embarcaram com a CI para conhecer o mundo em viagens que unem estudo, trabalho e lazer.

Saiba mais em ci.com.br

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.