Pé na estrada


Final de semana off tem um só significado: pé na estrada.

Como já adiantei no post anterior, o destino deste mês foi Washington D.C. A escolha não poderia ter sido mais acertada. A cidade é encantadora e o tempo estava a nosso favor…céu azul todos os dias.

Eu e mais três amigas fomos de carro até lá. E como algumas coisas são como são em qualquer lugar do mundo onde você estiver: eu fui a motorista (sempre fui a motorista da turma no Brasil…na época de estágio e faculdade meu carro até ganhou apelido de “caravana”). Como o objetivo era aproveitar intensamente o dia lá, saímos às 5 horas da manhã e quase quatro horas depois e 350 quilômetros ou 189 milhas ( em milhas tudo parece ser mais perto), chegamos à capital do país.

Nosso primeiro destino foi o hotel onde ficaríamos hospedadas. Precisávamos estacionar o carro lá para começar a desbravar a cidade… a pé. Uma dica importante para quem planeja ir a Washington: escolha um hotel perto do National Mall (onde estão as principais atrações) e então, comece a caminhar. Você vai se encantar com a arquitetura da cidade, tudo é muito limpo, arborizado e com detalhes que surpreendem. Aliás, como disse uma das minhas amigas em momento de puro êxtase com a cidade: “Olha só o lixo que coisa mais linda”… em referência aos cestos de lixo espalhados pelas esquinas de D.C.

Sábado foi o dia de conhecer alguns dos principais ícones da cidade: Capitólio, Casa Branca, Museu de História Natural, Espacial … (os museus em Washington são todos uns ao lado do outro e é onde se passa o filme uma Noite no Museu). E a noite ainda sobrou energia para a balada.

Para o domingo reservamos tempo para o Lincoln Memorial e Georgetown, a “parte antiga” da cidade com lojas das principais marcas, restaurantes bacanas e onde fica o Harbor Washington um deck onde você tem vista de três partes da cidade. Lindo!

Encantada com a cidade era hora de voltar para casa, mas não sem uma surpresa no caminho.

Sabe cena de filme americano que você vê as pessoas abastecendo seu próprio carro?

Pois é, para mim, apesar de morar nos EUA, continuava sendo só cena de filme…até sair do meu estado de carro (em New Jersey tem frentistas nos postos de combustível como no Brasil). Quando parei para abastecer o carro na volta de Washington, esperei o frentista aparecer e alguns segundos depois percebi que deveria descer do carro e então abastecê-lo por mim mesma. Sorte que tinha alguém na bomba ao lado no mesmo tempo que eu e pude pedir explicações de como deveria proceder… e alguns minutos depois e tanque cheio, a sensação era de aventura completa.

Galeria de fotos:

Ana Elisa von Ah Morano

Ana Elisa von Ah Morano

A Ana vai contar pra gente tim tim por tim tim como é ser Au Pair nos Estados Unidos

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.