Pequeno Manual do Mochileiro – Alimentação


“Você não pára de comer!” Tive que ouvir muito isso na minha primeira viagem à Europa. Sou grato a Deus pelo metabolismo que tenho. Comer, comer, comer e não engordar. Mas sempre tenha em mente que um mochileiro tem que ter umas noções de nutrição e dietética para saber como deve se alimentar durante uma viagem. Nada de exageros, mas também passar fome nem pensar!

Assim que chegávamos num albergue, sempre procurávamos nos informar se o café da manhã estava incluído na diária. Caso positivo, tomávamos o breakfast logo de manhã, já analisando o roteiro, mapas e guias. Caso negativo, tomávamos informação sobre algum mercadinho por perto. A visita ao mercadinho é sempre uma parte legal na viagem, pois você estará mais perto dos verdadeiros nativos. Digo verdadeiros, pois são aqueles que dificilmente vêem turistas passando por ali. E sem contar que é o local ideal para você usar aquele dicionário de viagem com as expressões do dia-a-dia.

Eu sempre colocava no meu cardápio matinal um copo de iogurte. Hum que delícia! Encontrei em quase todos os mercadinhos da Europa, principalmente no BILLA. O BILLA tornou-se um oásis da economia para a minha vida durante aquela viagem. Quando tudo parecia não ter mais solução, as forças se esvaiam do corpo na luta pela sobrevivência. Nesse momento, vagando rumo ao desconhecido, encontrávamos na próxima esquina o glorioso BILLA. Cheio de iogurtes de todos os sabores do mundo! Pães com presunto e queijo, sorvete, lanches naturais, bolos, pedaços de frango já assados e prontos para comer. Ah, bons tempos!

Bem, se o albergue oferece o café da manhã, mesmo assim visite o mercadinho. Lembre-se que você precisa comprar alguma coisa para enganar a fome até a hora do almoço. Lembrei de uma dica: Leve muitas barras de cereais daqui do Brasil, você poderá comê-las durante a viagem nos intervalos entre as refeições. Se preferir, ainda no mercadinho, já pode comprar o almoço também. O almoço pode ser, por exemplo, um ou dois lanches naturais de carne, uma garrafinha de suco e uma banana. Isso mesmo, nada de comer em restaurantes todos os dias. Sai muito caro e pode não ser muito proveitoso. Em Praga, resolvi comer em um restaurante e pedi uma porção de peixe que estava no cardápio. Saiu uns 12 euros e veio exatamente o que eu pedi, nada de arroz para acompanhar, só o peixe mesmo e um copo com suco.

O legal de comprar até o almoço é que você pode comer aonde quiser! Num parque, em frente a um lugar histórico, sei lá! Seu almoço fica muito mais interessante. Dá pra fazer umas refeições muito chiques pela Europa, na frente do Coliseu, perto da torre Eiffel… Uma vantagem é que você observa o vai-e-vem dos cidadãos, o que é muito interessante!

Entre o almoço e o jantar, é a mesma coisa. Continue comento as barras de cereais até chegar a hora de jantar. A refeição pode ser igual ao almoço.

Num geral, tenha em mente que você vai estar se alimentado desse jeito apenas por um período, não é para a vida toda! São só tantos dias. Vai emagrecer? Provavelmente sim! Não só por causa da alimentação, pois a pegada do mochilão é pauleira! Mas morrer desnutrido também não vai!

Última coisa! Nos últimos dias da viagem, você pode esbanjar um pouco e comer em um restaurante bem legal. Só para dar uma forrada legal no estômago antes de voltar para o Brasil. Afinal, você merece!

Abraços e bom apetite!
Galeria de fotos:

Eber Guni do Nascimento Santos

Eber Guni do Nascimento Santos

São muitas aventuras do Mochileiro e Viajante Eber pelo mundo. Desbravando a América do Sul e a Europa com vivências inspiradoras registradas aqui.

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.