“Sem a religião, a ciência é manca… sem a ciência, a religião é ofuscante”


Mais uma de Albert Einstein. Pois é, debates sobre ciência e religião são comuns nos nossos dias. Os dois lados sempre estão reclamando os louros da vitória para si. Mas será que um trabalho conjunto não seria o caminho para as respostas das muitas questões da vida? Nem fanatismo e nem ceticismo, penso que religião e ciência se completam.

Se te provassem cientificamente que o homem veio do macaco, isso abalaria a sua fé? Por que? Você simplesmente acharia que todos os momentos que você passou com Deus, foram apenas fruto da sua mente criacionista e então o colocaria em uma caixa de papelão e mandaria para algum bazar?

Questões e conclusões passaram pela minha cabeça nesse sábado após acompanhar a exposição sobre Darwin aqui no Museu de Arte de São Paulo (MASP). O dia estava chuvoso, o que foi ótimo para começar a me acostumar com o clima lá do Reino Unido. Além disso, fui sozinho.

A mostra recria a viagem de descoberta de Darwin, que transformou a percepção sobre a origem e a natureza das espécies. Acho que levei umas quatro horas e meia para ver tudo. A exposição é muito rica em detalhes sobre a vida pessoal do cientista, o que acaba nos conectando com ele. Percebi que eu estava realmente abduzido, quando me peguei lendo todo e qualquer rabisco. Várias pessoas estavam simplesmente lendo o que estava em letra maior, mas como eu não sou nenhum expert na origem da teoria da evolução, li quase tudo e fiz várias anotações, afinal eu tinha desembolsado R$7,00 para estar ali. Veja só, num cantinho tinha um painel minúsculo falando sobre a casa que Darwin alugou em Londres para viver os seus primeiros anos de casamento. E não é que fica perto do Museu Britânico, lugar onde vou passar!? Anotei o endereço e espero futuramente postar aqui uma foto tirada em frente à casa.

Não pense que visitar museus e galerias de arte seja um dos meus hábitos de infância. Infelizmente, ou felizmente, não nasci burguês. Logo o trabalho árduo semanal e às vezes um passeio no parque no final de semana, pareciam ser as únicas opções de atividades proveitosas.

As coisas tomaram esse rumo, depois do meu primeiro mochilão pela Europa. A riqueza que uma exposição como esta te dá, é inacreditável. O saber pensar e racionalizar acerca das coisas ao nosso redor é um dos grandes trunfos do homo sapiens, portanto vamos usá-lo.

Uma das coisas mais interessantes que eu captei com a experiência desse final de semana, é que grandes mudanças acontecem quando temos a ousadia de dar o primeiro passo. Além disso, Darwin me fez perceber que Deus é mais inteligente do que eu pensava!
Galeria de fotos:

Eber Guni do Nascimento Santos

Eber Guni do Nascimento Santos

São muitas aventuras do Mochileiro e Viajante Eber pelo mundo. Desbravando a América do Sul e a Europa com vivências inspiradoras registradas aqui.

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.