Um novo amigo em York


Vamos conhecer uma cidade realmente medieval na Inglaterra? Então pegue a sua mochila e vamos para York!

Esse foi o meu pensamento quando decidi colocar York no roteiro. A cidade conservou tanto a sua estrutura medieval que andar pelo centro é como penetrar em um museu vivo! Andando pelas estreitas ruazinhas de pedra, você logo percebe que a maioria das casas antigas tem madeira aparente. Um charme só! A galera sempre ta andando de bike pra cima e pra baixo, já que no centro os carros são proibidos.

A maior sacada de York é ser duas cidades em uma só! Isso mesmo, já que a cidade medieval foi construída sobre a romana. Aliás, foi aqui que Constantino, o Grande, foi sagrado imperador em 306 d.C.

A catedral York Minster é gigantesca e dá um show de arquitetura, além disso possui um notável acervo de vitrais medievais.

A partir de 867 d.c tornou-se uma estratégica cidade viking, sendo que esse legado pode ser notado pelos nomes dinamarqueses das ruas.

Mesmo sendo uma típica cidade do interior, York não deixa ninguém na mão quando o assunto é aventura. Tem vários museus bacanas, mercadinhos, internet cafe…

Tive o prazer de assistir uma orquestra tocando na praça central e almocei ouvindo um jovem músico, sentado numa escadaria tirando lindas melodias do seu violão. Pensei comigo! Como eu admiro esse tipo de gente, são verdadeiros artistas, pois não é nada fácil chegar num lugar e começar a tocar do nada. Em minha opinião, tirando os doidos e excêntricos, a pessoa que tem essa determinação carrega toda a forca do título ‘artista’. Sem falar que o rapaz tocava e cantava super bem.

Foi interessante ver o momento que ele parou de tocar, guardou o violão na bag e foi embora no meio da multidão. Pronto, o show havia acabado, mas eu nem ouvi a salva de palmas.

Já bem almoçado, continuei andando pelas encantadoras ruas do centro. tive certa dificuldade para pronunciar alguns nomes das ruas, por serem muito complicados.

Enquanto eu caminhava e assistia o vai-e-vem dos moradores, parei novamente na praça central, pois a orquestra estava tocando novamente. De repente percebi que aquele músico da hora do almoço, estava do meu lado assistindo com um olhar de entusiasmo a apresentação, apoiado no seu violão, com a blusa de frio rasgada na ponta e a barba por fazer.

Hey, não era você quem estava tocando naquela escada da esquina?

Foi assim que começou o nosso papo. Um jovem inglês do interior que sonha ser um grande ator. Dois anos atrás ele veio para York estudar artes cênicas e nesse ano estava querendo ir ao festival de Edimburgh (um gigantesco festival de artes) que acontece em Agosto. Adivinhem porque ele estava tocando naquela escada? Isso mesmo, para conseguir o dinheiro que faltava para comprar a passagem York-Edimburgh.

Eu acredito d+ quando alguma pessoa diz que tem um sonho. Creio que devemos sempre fazer o que pudermos para ajudar uma pessoa determinada a alcançar aquilo em que acredita.

Só o fato de estar lutando já é um grande feito, pois muitos não acreditando que podem, nem tentam. Quando a apresentação da orquestra terminou, voltamos para a escadaria e ele começou a tocar umas musicas muito legais que eu nem conheço, mas ele tinha copias e eu cantei com ele. Foi fantástico! Parecia que nos conhecíamos há séculos! Como ele tocava bem!

Lembro de um refrão de uma das músicas…

‘Mesmo que essa chuva fria não pare,
mesmo que o velho vento do norte sopre mais forte
Um dia o medo dará lugar ao coração valente
e então seremos livres

seremos livres para acreditar
que vale a pena continuar
acreditando na vida’

Não sei quem compôs nem porque, mais quando estava cantando essa musica, percebi que nunca mais esqueceria aquele momento. As coisas que vão acontecendo num mochilão são imprevisíveis. De repente você está vivendo um momento que jamais imaginaria segundos antes. Daí você lembra que aquela velha vida rotineira e previsível ficou para trás e agora você está realmente vivendo com toda a intensidade que essa palavra carrega.

Algumas pessoas contribuíram e no final coletamos umas 4 libras! rsrsrs

Bem, como sempre tivemos que nos despedir, mas infelizmente não lembrei de tirar uma foto com ele. Não sei como isso foi acontecer. Ate agora não me perdôo, portanto vocês só o conhecerão pelas costas. srrs Talvez o momento estava tão legal que eu me desconectei um pouco do mundo. hahaha

Não lembro o nome dele e não sei se peguei o e-mail, mas espero que ele consiga ser um grande ator e então poderei achá-lo mais facilmente.

Amigos de viagem são assim, reencontram-se séculos depois e passam bons momentos relembrando historias de viagem.

À noite, fiz um passeio fantasmagórico pelas ruas de York. Esse passeio é um dos programas disponíveis nas noites da cidade e como eu estava curioso resolvi acompanhar. Foi bem legal, enquanto andávamos nas ruas antigas, ouvíamos as historias macabras de algumas casas.

Ah já ia esquecendo do desafio!!!!

pois bem! Para não cometer o mesmo erro que cometi com o meu amigo em York, gostaria que todos vocês que estão acompanhando as minhas aventuras, comentassem esse post. Vocês sabem que esse diário não vai durar para sempre, portanto quando eu voltar para o Brasil, gostaria de poder ter algum contato com vocês. As idéias são muitas, poderíamos fazer uma trilha no final de semana, sair para tomar um suco e papear sobre a vida, sei lá!

O que vocês acham? Vamos lá? É só colocar um comentário com o e-mail, lugar onde mora e também vale falar alguma coisa se quiser.

Não se preocupe se você não mora em São Paulo, quem sabe eu não viajo para a sua cidade num futuro próximo? Daí você vai poder me ajudar a conhecer toda a região!
Galeria de fotos:

Eber Guni do Nascimento Santos

Eber Guni do Nascimento Santos

São muitas aventuras do Mochileiro e Viajante Eber pelo mundo. Desbravando a América do Sul e a Europa com vivências inspiradoras registradas aqui.

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.