Uma semana em Milão gastando 10 euros por dia

Imagem 1_Chamada

Capital financeira e centro do design e da moda, Milão está longe de ser o lugar mais em conta da Itália. Pode ser difícil encontrar cafés, restaurantes e atrações baratas. Mas não impossível. Continuamos nosso guia de sobrevivência com pouca grana pelas principais cidades turísticas do mundo mostrando a você o mapa da economia na meca da sofisticação: onde comer e que atrações visitar de graça ou por até 10 euros por dia.

1º dia – Castelo Sforzesco

Imagem 2

Um Da Vinci e um Michelangelo no mesmo lugar? Sim, por favor. Nosso ponto de partida é o Castelo Sforzesco, no qual se pode ver o teto, muito provavelmente pintado por Leonardo, e a Pietà Rondanini, estátua de Nossa Senhora e de Cristo na qual Michelangelo estava trabalhando pouco antes de morrer. Ótima oportunidade para ter uma ideia da opulência em que viveu a aristocracia local em outros tempos e de ver sua bela coleção de artes plásticas e até de instrumentos musicais antigos. Tudo isso por 3 euros.

Mais para o fim do dia, aproveite para fazer parte de uma tradição milanesa: o happy hour que inclui buffets onde você pode comer pratos quentes à vontade. Uma opção é o Exploit (Via Pioppette, 3) perto das colunas de San Lorenzo, onde 6 euros pagam uma bebida e uma farta seleção de guloseimas: minipizzas, pedaços de queijo parmesão, almôndegas, etc.

2º dia – Quadrilatero d’Oro

Imagem 3

Hora de conhecer um dos destaques da cidade: as lojas de alta costura de marcas como Dolce e Gabbana, Versace, Giorgio Armani e Roberto Cavalli. Você vai encontrar tudo isso e muito mais no Quadrilatero d’Oro (em português, Retângulo de Ouro), região formada por quatro ruas principais: Via Montenapoleone, Via Manzoni, Via del Corso e Via Senat, cruzadas por outras, como a Via della Spiga e a Via Sant’Andrea, que juntas formam o centro fashion em Milão. A pedida é bater perna apreciando as vitrines e a elegantíssima clientela, um espetáculo que não vai lhe custar um tostão. A não ser que você queira se arriscar a comprar algo por ali.

Imagem 4

Pra matar a fome, o Teatro 7  (Via Civerchio, 9) é uma ótima opção. Com decoração sofisticada e a cozinha aberta, onde você pode ver os chefs Rico Guarnieri e Claudio Colombo Severini preparando suas delicadas receitas. A comida é ótima, mas melhor ainda é o especial da hora do almoço: por 12 euros, você garante dois pratos acompanhados por uma taça de vinho!

Foto: Claudio S. - Foursquare
Foto: Claudio S. – Foursquare

3º dia – O Duomo

Sem título

A Catedral de Milão ou Duomo é uma das maiores do mundo e levou seis séculos para ficar pronta. Suas torres são visíveis praticamente da cidade inteira, mas é preciso entrar para apreciar toda a grandiosidade de sua arquitetura. Não perca o relógio de sol do século 18, encravado no piso, tão preciso que era usado para acertar os relógios do resto da cidade. Por 7 euros, você pode subir até o topo da estrutura e ter uma visão panorâmica da cidade.

Foto: Hiroshi O. - Foursquare
Foto: Hiroshi O. – Foursquare

Hora do lanche: que tal experimentar o panzerotto, salgado que se assemelha a um pastel, na tradicionalíssima padaria Luini? Sai por apenas 2 euros. Se pegar dois, mais um café ou refrigerante, vale por um almoço. Tradicional e imperdível.

4º dia – Parques de Milão

Visão geral do Parco Sempione
Visão geral do Parco Sempione

No quarto dia, depois de já ter passado por pelo menos um deles, está na hora de parar para conhecer os parques da cidade. Entre os mais acessíveis e agradáveis estão o Parco Sempione e o Giardini Pubblici. O primeiro, Parco Sempione, fica entre o Castelo Sforzesco e o Arco della Pace, e é o maior parque de Milão, com mais de 386 mil m², repleto de monumentos e fontes, além de um pequeno lago e rotas perfeitas para caminhar.

Foto: Jelena J. - Foursquare
Foto: Jelena J. – Foursquare

Aproveitando que o passeio pelo parque foi de graça, hora de investir em um lanche delicioso num dos melhores lugares de Milão. O tradicional panino está disponível em vários sabores, mas tem como base frios, queijo e salada: o Bar della Crocetta (Corso di Porta Romana, 67) tem fama de servir alguns dos melhores de Milão. Não chega a ser gigante, mas serve duas pessoas, o que torna o programa muito econômico.

5º dia – Museus gratuitos às sextas

Museu de História Natural de Milão
Museu de História Natural de Milão

Vários museus e galerias que normalmente cobram entrada são de graça após as 14h durante as sextas-feiras. Um desses é o Museo Civico di Storia Naturale, que tem um acervo variado, incluindo a evolução do ser humano, paleontologia e até esqueletos autênticos de dinossauros.

Outra opção é o Museo Archeologico, sediado no antigo convento do Monastero Maggiore. Seu acervo é rico em objetos históricos, como moedas da Milão ancestral e até vasos gregos e etruscos. Chegue antes das 14 horas apenas para evitar a fila.

Depois de saciar a fome de cultura, hora de suprir as necessidades do corpo. Vá para a Estação Central e procure o Bistrot Milano Centrale (Stazione Milano Centrale, 20.145) para ter uma verdadeira experiência de “street food” italiana. Bons preços, comida ótima e Wi-Fi de graça.

Foto: Ryan S. - Foursquare
Foto: Ryan S. – Foursquare

6º dia – A Mediateca Santa Teresa

Surpresa! Quem diria que uma cidade cara como Milão conta com uma biblioteca multimídia e acesso gratuito à internet. Você só precisa apresentar um documento de identificação, como o passaporte, e preencher um formulário. Fica na Via della Moscova, 28.

Imagem 12

Outra dica importante é que o transporte público da cidade é barato e uma forma segura e confiável de se locomover pela cidade. O bilhete diário custa 3 euros e dura 24 horas a partir do momento que é carimbado. Um bilhete de 48 horas sai por 5,5 euros.

Para continuar economizando, mas sem perder a qualidade do passeio, nada melhor que conhecer as massas e a pizza local. Locais caros são muitos, mas com a rara combinação de ótima qualidade e preço camarada, existe a Pizzeria alla Fontana (Via Thaon di Revel, 28), que também é muito elogiada por suas lasanhas.

Foto: Matteo V. - Foursquare
Foto: Matteo V. – Foursquare

7º dia – Acquario di Milano

shutterstock_170247191

O aquário da cidade não é grande – são apenas cem espécies –, mas continua sendo um passeio divertido e barato. Os tanques gigantescos abrigam dezenas de espécies de peixes, crustáceos, moluscos e equinodermas (por exemplo, estrelas-do-mar) típicas do Mediterrâneo e do Mar Vermelho. E eles têm um túnel submarino de vidro! O ingresso custa 5 euros.

Terminado o passeio pelo mundo aquático, hora de voltar para terra firme e experimentar uma das especialidades da cidade: o panetone de Milão! A Pasticieria Marchesi (Via Santa Maria alla Porta, 11) é um dos melhores lugares para tomar um café sensacional e conhecer o inigualável panettone milanês. Mesmo que não seja no Natal, aliás, porque existe uma grande variedade de doces espetaculares. Acompanhe com um cappuccino.

Foto: Aniya - Foursquare
Foto: Aniya – Foursquare

Agora chegou a melhor hora: botar tudo isso em prática. Você pode planejar o seu Mochilão ou, se preferir, programar alguma outra modalidade de viagem clicando aqui.

CI Intercâmbio e Viagem

CI Intercâmbio e Viagem

A CI Intercâmbio e Viagem produz o blog Caia no Mundo e é a maior empresa de intercâmbio e turismo jovem do Brasil. Mais de meio milhão de pessoas já embarcaram com a CI para conhecer o mundo em viagens que unem estudo, trabalho e lazer.

Saiba mais em ci.com.br

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.