Valeu pelas dicas, minha gente!


Salve, minha gente. Bom…tive problemas técnicos para enviar o texto de quarta, então ele só emplacou na manhã de hoje. Tá certo que o assunto não era dos mais felizes, mas trata-se de uma fatalidade, acontece…E, de qualquer modo, é um aviso para que eu fique mais esperto aqui na terra da rainha.

Londres é certamente mais segura que minha cidade natal, São Paulo. E o bairro de Charlton também é pra lá de tranqüilo perto da minha querida Cidade Ademar, bairrão periférico de SP onde cresci. Mas por mais que haja uma diferença gritante entre os índices de segurança dos dois lugares, nós estamos falando de cidades grandes e bairros suburbanos que vira e mexe estão nas páginas policiais dos jornais locais. Ou seja, se me avisaram sobre situação em Charlton, eu deveria ter escutado e sido mais cauteloso.

No entanto, quanto mais eu penso em tudo o que aconteceu, mais eu sei que devo esquecer e não deixar a paranóia de cidade de grande me pegar. Como eu cresci em um bairro pobre e com sérios problemas de criminalidade, aprendi que precaução é a regra, e não o medo, porque ele te faz refém da sua própria imaginação.

Haviam nos avisado sobre o bairro e a região do pub, mas acho que com os olhos de estrangeiro nós não conseguimos enxergar o que temiam os amigos ingleses. Na real, ainda não entendo, mas aprendi mais uma vez que devo sempre levar em consideração o que as pessoas dizem. Apesar de não ser nenhuma novidade, essa regrinha fica ainda mais especial na vida de quem está viajando.

Quando se está em uma cidade nova, por mais que você ache que já viu situações parecidas, você está num lugar novo. Mesmo que depois você discorde das opinião dos nativos, vale escutar todas as dicas e avisos atentamente.

Outra fonte fundamental de informação é a internet. A Itália foi o país que mais rodei. Foram umas oito cidades em que ao menos pernoitei e mais umas cinco que passei algumas horas. E tanto nas cidades grandes como nas pequenas foram tiradas da internet muitas informações úteis, como hospedagem, horários de trem e ônibus, lugares turísticos e afins. Mas chegando lá sempre tinha ao menos uma boa alma que dava AQUELA informação que faltava.

Em Lucca, por exemplo, consegui acomodação e um jantar pra lá de especial por meio de uma senhora chamada Beatriz que conheci no primeiro dia que cheguei. A um precinho camarada fiquei no legalzão Bed & Breakfast La Torre [http://www.roomslatorre.com/] cujo o dono legalzão também me conseguiu um desconto no Gigi Tratoria [http://www.gigitrattoria.it/], restaurante onde sinceramente comi a melhor pasta da minha vida.

Pois é, amanhã é meu último dia por aqui. Então, hoje vou agradecer a todo mundo que me deu ou vem me dando AS TAIS DICAS imprescindíveis durante a viagem. Valeu, minha geeeeente!

Alexandre Casatti

Alexandre Casatti

O viajante Alexandre desembarcou na Europa primeiro em Barcelona para rever uns amigos, visitou os antepassados na bella Itália até chegar ao destino do Intercâmbio: Londres. Por aqui ele vai compartilhar experiências como um verdadeiro londrino na terra da Rainha.

Receba Nossa Newsletter

Cadastre-se e fique por dentro de todas as novidades e promoções da CI.

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.